Newsletter
Facebook
Twitter
Folha de São Pedro
Buscar
Aumento da tarifa de água em São Pedro foi solicitado pela SAAESP
Maior aumento da Tarifa de Água e Esgoto da região, foi solicitado pelo SAAESP e aprovado por conselho municipal nomeado pelo prefeito Hélio Zanatta
Os munícipes de São Pedro foram pegos de surpresa na última semana com uma notícia nada agradável, o aumento de 18,01 % na tarifa de água e esgoto.
Segundo informações oficiais da agência reguladora ARES/PCJ, através da resolução nº 99 de agosto de 2015, o próprio Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Pedro, o SAAESP, foi quem solicitou o aumento da tarifa praticada na cidade.
Outras cidades regulamentadas pelo ARES/PCJ também solicitaram reajuste em suas tarifas, entretanto,  a cidade de São Pedro com 18,01% foi quem teve o maior reajuste.
A cidade de São Pedro tem tarifa de água mais cara do que grandes cidades da região como Limeira, Piracicaba e Americana.
A justificativa para o reajuste foi à necessidade de recuperar o equilíbrio econômico-financeiro do SAEESP, para que a autarquia tenha condições de dar continuidade aos serviços prestados e realizar novos investimentos.
Porém, coincidentemente, poucos dias após o anúncio do aumento a cidade de São Pedro ficou sem fornecimento de água durante mais de dois dias, causando indignação dos munícipes que foram surpreendidos novamente com a falta de água.
Outro ponto que os moradores de São Pedro questionam é o pagamento da Taxa de Esgoto (captação e tratamento) que é cobrada também pelo SAAESP. Dados do ARES/PCJ dão conta de que dos 86% do esgoto captado em São Pedro, apenas 11% é tratado, ou seja, 75% são jogados diretamente nos rios e podendo causar danos irreparáveis ao meio ambiente.
Há ainda um outro fato que é pouco divulgado, o SAEESP e o ARES/PCJ se reuniram no último dia 16 de julho com o Conselho de Regulação e Controle Social do Município de São Pedro para definir o aumento, mas poucas informações são fornecidas sobre esse conselho.
A nossa reportagem procurou a ARES/PCJ para falar sobre a cobrança da Taxa de Esgoto e em nota o consórcio disse que a tarifa compreende os serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto. Atualmente os municípios em que não há tratamento têm tarifa de esgoto correspondente a até 80% da tarifa de água, e naqueles em que já existe o tratamento a tarifa corresponde a, pelo menos, 100% da tarifa de água.
Já sobre a falta de água dias após o anúncio do aumento da tarifa a agência disse que não recebeu nenhuma reclamação através de sua ouvidoria, mas que irá apurar o caso “O fornecimento de água tratada diariamente é uma obrigação do prestador de serviços. No caso das interrupções programadas é necessário comunicar previamente à população para que se programe, e em casos emergenciais, como o nome diz, essa comunicação antecipada não é possível.
Nestes casos, o usuário pode se informar sobre o motivo da interrupção e registrar sua reclamação junto ao prestador de serviços, e caso não tenha atendimento adequado ou solução do problema, fazer uma reclamação, apresentando o protocolo não atendido, na Ouvidoria da Agência Reguladora pelo 0800 77 11445 para as devidas providências. Diante da informação recebida do jornal, vamos verificar o ocorrido.”
A nossa reportagem procurou o SAAESP para que ele esclarecesse os motivos da falta de água mas até o fechamento desta edição não obtivemos resposta.
Procuramos também a prefeitura para que ela informasse quem são os membros do Conselho de Regulação e Controle Social do Município de São Pedro, nomeados através de decreto pelo prefeito Hélio Zanatta, que por   nota  informou que o conselho é formado por: Thiago Silvério da Silva, Gislene Nicolau dos Santos, José Roberto Fantato, Eric Storani, Ney Nielsen, Waldir da Silva Campos, Carlos Eduardo Quaresma e Anselmo Meneghin.
A Prefeitura de São Pedro disse ainda que “Para definir o índice são considerados valores como dados de faturamento, volume, investimentos e despesas, com destaque para os recursos necessários para o pagamento da energia elétrica. Entre junho de 2014 e maio de 2015, os valores gastos com energia elétrica pelo Saaesp aumentaram 56%. O índice de inadimplência é de aproximadamente 15%. Os preços públicos dos demais serviços foram reajustados conforme índice inflacionário do IPCA “
Compartilhar:
Enviar notícia por email
X
(O link da notícia será enviado automaticamente)
Sugerir correção para a Folha de São Pedro
X
(O link da notícia será enviado automaticamente)
Desenvolvimento de Sites
Dr Pollyany
Guia São Pedro Online
Desenvolvimento de Sites
Dr Pollyany
Guia São Pedro Online